Manu Cunhas é uma das artistas incríveis que faz parte do nosso time da coleção El Cabriton + Revista AzMina. A estampa feita por ela se chama “Maquiagem de Guerra”.

Se você não sabe, nós e a Revista AzMina nos juntamos para lançar uma coleção de estampas feministas que terá o lucro total da venda revertido para a Revista. AzMina é uma institução sem fins lucrativos que acredita na educação para prevenção de abusos que as mulheres brasileiras sofrem.

manu cunhas
Bolsa de Lona com estampa de Manu. Veja detalhes clicando AQUI

Manuela Cunha se formou em Design Gráfico pela UDESC, faculdade onde já deu aulas. Continua dando aulas para turmas pequenas ainda hoje e se divide entre o trabalho como freelancer e o mercado editorial.

Já ilustrou inúmeros livros e ela mesma já lançou 4! Manu trabalha com pintura digital e também experimenta das diversas formas de pintura tradicional: guache, nanquim e aquarela.

Batemos um papo com ela, veja a seguir:

 Você se lembra qual foi seu primeiro contato com arte? Seu primeiro desenho?
Acho que quando eu estava no jardim de infância, eu estava numa fase de desenhar cavalos. Minha memória mais antiga de desenho era de eu discutir com a professora, porque os desenhos dela não pareciam com as coisas de verdade hahaha


Quem você admira?
Muita gente, acho que hoje minha maior admiração está nas pessoas que estão conseguindo enfrentar o monstro da ansiedade que dificulta muito o trabalho como autônomo. Toda vez que vejo um quadrinho ou um desenho sobre o tema, me sinto abraçada.

Quem te incentiva e te ajuda na sua carreira?
Eu recebo incentivo da minha família, mas principalmente do meu marido e da minha namorada, que me acompanham nos eventos e me sempre me dão a opinião (solicitada) sobre os trabalhos que estou fazendo. Meus amigos também são ótimos, tenho uma senhora rede de apoio para o trabalho.

Conte um pouco sobre a inspiração para fazer a sua estampa da coleção.
Essa ilustração surgiu em cima de um texto que escrevi sobre o feminismo de cada dia. Como as vezes lutar por seus ideais está nas pequenas coisas, que você não precisa ser uma mega ativista para mudar o mundo ao seu redor (mas pode, hehe).

Modelos disponíveis da estampa. Clique AQUI p/ ver detalhes

O que é o feminismo para você? E como você o descobriu?
Eu descobri através do meu projeto “Outras meninas”. Antes dele, eu tinha um preconceito com o movimento, imaginando que era algo muito mais sobre supremacia do que igualdade. Fico feliz com a oportunidade que tive de questionar meu meio e me colocar no lugar de diversas outras mulheres, para perceber a dificuldade que enfrentamos por basicamente não estar no topo da cadeia alimentar. Descobri o feminismo interseccional nesse período e ele conseguiu dar conta do que eu sentia falta no primeiro contato geral com o feminismo.



O feminismo mudou seu jeito de criar/trabalhar com arte?
Com certeza, em todos os sentidos! Acho que eu estava tão focada em olhar para meu próprio umbigo, que isso me limitava demais ao construir narrativas de personagens mais complexos. O movimento me incentivou a prestar mais atenção no meu redor e ser mais crítica sobre minhas escolhas. Também fez com que eu barrasse trabalhos que eu não acreditasse e me fez ir atrás do que fazia mais sentido.

Se  uma jovem artista te perguntasse qual o maior desafio e maior delicia da sua carreira, o que você responderia?  
O maior desafio é não se deixar afogar por crises de autoestima profissional. Cara de pau é importante e se não nos fazemos aparecer, os trabalhos não chegam. A maior delícia é poder trabalhar com uma carga de trabalho descente num ambiente agradável. Dentro de empresas eu fazia mais horas do que era necessário e com um perfil de trabalho muito parecido, hoje tenho mais conforto mental e posso experimentar bem mais.

manu cunhas

Você sente diferenças no meio do design e arte entre mulheres e homens? 
No meu meio profissional mais direto, não vejo quase nenhuma. Quando saio da minha bolha linda e inclusiva e dou de cara com grandes eventos da área, aí esbarro com pessoas bossais e tolas. O meio dos quadrinhos é especialmente infeliz nesse sentido.

Indique uma artista
Quero indicar a Moniq Moon! Ela é uma artista que conheci no final do ano passado e achei o trabalho sensacional. Ela ainda está começando a aparecer, mas já tem um estilo sólida e temas super relevantes. Sigam ela e mandem muitos elogios, hehe https://www.instagram.com/moniq.moon/?hl=pt-br

Se você curtiu a estampa, aproveite! A coleção estará a venda até o dia 15/03.

Veja todas as estampas em www.elcabriton.com/az-mina

Prestigie o trabalho da Manu nos links:

https://www.instagram.com/manucunhas/

https://manucunhas.com.br/

coleção camisetas feministas el cabriton + azmina
http://www.elcabriton.com/az-mina

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: