Zines! Porque amá-los?

Zines! Porque amá-los?

10 de junho de 2019 0 Por senorelcabriton

Não é um livro, não é uma revista, mas pode ser tudo isso ao mesmo tempo. Já ouviu falar em Zines? A publicação impressa independente, de pequena escala, pode ser produzida por um só autor ou por um pequeno grupo de pessoas.

O conceito de zines se popularizou no final do século 19 e início do século 20, que por sua vez se manifestaria com a subcultura dos fãs de ficção científica (nos anos 30). A ideia, no Brasil, surgiu com o mesmo propósito em Piracicaba, interior de São Paulo, porém somente na década de 70. Depois disso, grupos socialmente marginalizados começaram a publicar suas próprias opiniões em forma de “panfletos” para expressarem seus ideais, manifestos e palavras.

zines
Reino do Super-Homem de Jerry Siegel, ilustrado por Joe Shuster. Esta história foi publicada por Siegel em seu zine, Science Fiction # 3
Imagem: Wikipedia

O zine acabou virando um fenômeno cultural particular (como um gênero literário ou musical) entrando no Oxford English Dictionary em 1949 e até hoje é um meio significativo de comunicação em várias subculturas inspirando a filosofia do “faça você mesmo”.

Com o passar do tempo, estes escritos foram crescendo em uma variedade de formatos, desde textos publicados na internet até histórias em quadrinhos, livretos cheios de colagens e muito mais. Hoje cobrem tópicos abrangentes incluindo fanfiction, política, poesia, arte e design, efemeridades, diários pessoais, teorias sociais, e trazem temas como feminismo, conteúdo sexual fora do mainstream, e o que mais a imaginação permitir.  Mas isso muito se deve ao uso do zine em movimentos como o Punk, a contracultura, Riot Grrrl, que sempre utilizaram esse tipo de mídia para promover suas opiniões na cena underground.

De alguns anos para cá, zines muito interessantes foram criados por artistas independentes, ganharam espaço e fama em eventos, lojas e feiras, como a Feira Plana que acontece em São Paulo e o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos), a editora Ugra Press, além de circularem e serem vendidos pela internet. Aliás, você sabia que aqui na El Cabriton temos uma bancada de zines em nossa loja física? Pois é!

zines

E sabe por que a gente curte tanto o formato? Porque as folhas são sua tela em branco. Ali, é o seu momento de publicar seu texto autoral, fotos, desenhos, poesias, manifestos, ideias, falando tudo ou falando nada. Você mesmo vai desenhar, criar, montar, imprimir, fazer o seu rolê pra tudo dar certo, se expressar da sua maneira. É o momento de inventar, testar, pirar, experimentar, e até de vender, por que não?

zines
Exemplo de Zine, ‘Fortuna’ criado em risografia pela editora De Zaster, sediada no Rio de Janeiro

Pensando nisso, Carol Moré, do FTCMag, autora deste post maravilhoso, conversou com Flo Lau, Diretora Criativa associada da Shutterstock, pra trocar uma ideia sobre os zines nos tempos modernos. Dá uma olhada:

Carol: Flo, Zine é tendência segundo a Shutterstock em 2019. Como? Se temos sites, blogs, redes sociais, por que algo manual é tendência em uma empresa digital hoje em dia? Por que você acha que a Cultura Zine é tão interessante e valorizada como uma forma de expressão?

Flo: O melhor da era do zine é que você também pode transformá-lo em digital se quiser e pode fazer isso a partir do seu celular. Qualquer um pode pegar diversas mídias, usar imagens para expressar a ideia que tenha e queira compartilhar, e você pode ter sua voz ouvida entre seu nicho. O que é interessante é que na empresa, nós transformamos esses conteúdos incluindo imagens, músicas e vídeos em algo acessível, então as pessoas podem criar seus próprios Zines individuais de forma rápida e fácil.

FTC: O Zine tem sido uma ótima ferramenta para a difusão de artistas independentes. Quais dicas você pode oferecer para nos ajudar a criarmos nossos zines?

A mídia social deu a esta arte uma nova casa e nova audiência na era digital. A estética caseira do zine pode ganhar uma atualização digital, o que ajuda a se destacar em um mundo digital polido. O único conselho que temos a dar, é você se divertir com tudo isso!

FTC: Onde obter inspiração para os recortes, colagens digitais, texturas e camadas que definem essa tendência?

O zine tem como princípio a colagem, os recortes de papel. Se você aplicar para o digital, basta utilizar também texturas de ruído, granulação e camadas de borda áspera, o que definem essa tendência. A mistura de foto e elementos gráficos é o que lhe confere mais característica. A imaginação do criador é o limite nesse estilo.

FTC: Alguma sugestão de bons criadores de Zine?

O Instagram permite que as pessoas criem sua própria plataforma e compartilhem suas ideias instantaneamente, o que é uma extensão do que o Zine era originalmente. Toda vez que você olha o Instagram, particularmente na seção “Stories”, você pode encontrar “Zines” incríveis da nova era em seu próprio feed.

zines
Zine por Gabriel Goés. Edição Ugra Press

DICAS PARA CRIAR SEU PRÓPRIO ZINE

No site da Capitolina, revista online, tem um maravilhoso passo-a-passo de como fazer seu próprio zine, da idealização, passando pela montagem até a sua distribuição. Vale a pena ver tudo lá.

Na El Cabriton você encontra diversos títulos independentes da Editora Lote 42 e Bebel Books. Recebemos novidades todos os meses!

zines
zine
zine
zines
zines

Ilustras por Lucas Gehre

Powered by Rock Convert