Vini Meio é o dono da nossa fachada nº112!

Scroll down to content

Nós já passamos por 112 fachadas diferentes na nossa loja. Já observamos MUITOS estilos e maneira diferentes de aplicar arte em uma parede. Por isso, quando após 2 dias de trabalho, Vini Meio já tinha lacrado a nossa fachada inteira, tivemos a certeza: essa cara está acostumado a pintar na rua.

vini-meio

Vinicius Matsuei é formado em Design Gráfico, trabalha com ilustração, grafite e marcenaria. Já deu a volta ao mundo entrevistando professores e foi um dos caras mais rápidos a pintar nossa fachada! Vini Meio é sem dúvida nenhum um mestre do Spray e do pincel. E um poeta que através de cores e traços passa sua mensagem sem às vezes usar uma palavra.

vini meio

Você se lembra qual o seu primeiro contato com arte na vida?

Meu primeiro contato foi com arte, foi através  do graffiti mesmo. Tive o privilégio de nascer no Pari, um dos berços do graffiti em São Paulo. No final dos anos 90, as intervenções urbanas tinham virado febre no bairro, e foi assim que comecei a me interessar por desenho.

Você trabalha também com criação no mundo digital ou seu foco é na rua?

Sou formado em design gráfico e atuo como ilustrador, por isso toda arte que faço acaba passando pelo digital, mesmo quando estou elaborando um graffiti ou uma tela, sempre faço algum rascunho digital antes.

vini meio

Fale um pouco sobre seu método de criação e plataformas em que trabalha.

No final de 2015, eu e minha companheira Ju vendemos tudo o que tínhamos e saímos para uma volta ao mundo que durou 10 meses. Passamos por mais 30 países e 90 cidades. Hoje meu trabalho basicamente vem do resgate dessas memórias, que são muitas e muito diversas. De alguma maneira, elas transformaram a minha relação com a arte. Quando me formei trabalhava bastante com ilustração digital, e buscava referências em bancos muito comuns. Essa viagem, mudou completamente o tom dos meus trabalhos, justamente porque eles têm uma referência muito mais ampla. Ainda que eu trabalhe muito com a ilustração digital, nunca deixei de desenhar no papel e em outras plataformas mais tradicionais.

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Obra de @vini_meio | Rua Augusta – São Paulo | #graffitivideoguia #sampagraffiti #streetart #graffiti

   Uma publicação compartilhada por Graffiti Videoguia (@graffitivideoguia) em

Quem você admira? Se você pudesse pintar um muro em qualquer lugar do mundo, qual seria?

Admiro artistas que conheci, que estão ao meu redor. Alguns nomes mais distantes estão sempre pulsando nas minhas referências: artistas como James Jean, Aryz, Bezt e Sainer Etam, etc. É difícil dizer que admiro uma pessoa sem conhecê-la. Até porque, ultimamente entramos em contato com artistas incríveis que se mostraram pessoas muito intolerantes e incapazes de contribuir para a construção de um mundo melhor.

  44881416_2173207876285657_1784128912102070812_n

Se eu fosse escolher um muro em qualquer lugar do mundo, queria levar meu trabalho para Filipinas. Foi um país que nos acolheu de uma maneira incrível e tenho esse desejo de poder olhar novamente nos olhos delas, deixando um trabalho em agradecimento pela recepção que tivemos.

Quais suas referências e como você acha que elas aparecem no seu trabalho?

Hoje, muitas de minhas referências vem de fotos que tirei durante a viagem, tento trazer e mostrar um pouco das histórias de vidas que vimos e ouvimos.

vini meio   Você gosta de ouvir música enquanto cria? O que costuma ouvir?

Eu ouço de tudo, desde samba até música erudita. Quando estou criando algo, prefiro músicas que não tenham letras, porque sinto que atrapalha meu processo criativo, mas na parte da execução eu costumo deixar a playlist no aleatório.

Você gosta que te abordem na rua durante uma pintura?

Gosto! Inclusive é uma das coisas que deixa o graffiti mais interessante. Esse contato com as pessoas, sentir a recepção do trabalho e as reações. Gosto muito de trocar ideia, de discutir e até de encarar uns “conflitos”. Tudo isso faz parte da rotina do artista de rua e é isso que torna a experiência tão completa.

  Como foi a experiência na El Cabriton, na Rua Augusta? 

Foi uma experiência foda. A Augusta tem uma diversidade de pessoas que é muito familiar. O fato de ter muitas pessoas que transitam por ali faz tudo ser muito intenso. Se eu puder reclamar de alguma coisa, seria a barulheira dos carros e ônibus. Mas, estar na rua é isso. Faz parte do trabalho.

vini meio Vini inovou na nossa fachada e adicionou pequenos luminosos de Led ao desenho, dando um efeito surpreendente ao chapéu de seu personagem.

 

 

 

 

 

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma publicação compartilhada por SAMPA GRAFFITI (@sampagraffiti) em

 

 

 

Ping Pong

Vermelho ou Azul? Vermelho

Lasanha ou Churrasco? Lasanha Veg

Cerveja ou Vinho? Cerveja

Pica-Pau ou papa-léguas? Pica-Pau

Rio ou São Paulo? São Paulo

Salgueiro ou Radiohead? Salgueiro

Posca ou Pincel? Pincel

Parede ou Computador? Pareeeede

Inverno ou Verão? Inverno

Beatles ou Rolling Stones? Beatles

Serigrafia ou Laser? Serigrafia

 

Nós não podemos deixar de falar da INCRÍVEL estampa que Vini deixou em nosso catálogo
estampa vini meioestampa vini meio  Você pode adquirir essa belezinha clicando AQUI! 

 

Toda a equipe da El Cabriton agradece de coração o trampo e a arte que nos acompanhou durante esse mês.

 

Acompanhe Vini nas redes:  instagram.com/vini_meio

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: