“Para se ver, olhar para fora”. O Projeto Fachada voltou! E a estreia é de Zebradaa

“Para se ver, olhar para fora”. O Projeto Fachada voltou! E a estreia é de Zebradaa

9 de agosto de 2021 0 Por Carol

Depois de mais de um ano sem a nossa fachada receber cores, texturas e camadas novas, retornamos com o projeto que, desde 2009, traz arte para a nossa loja todos os meses. A arte da vez é da fantástica Zebradaa. Confira!

Ilustradora, designer gráfico e artista visual, Fernanda Bornancin, mais conhecida como @zebradaa, é ligada em arte e nas pequenas coisas que compõe a vida desde cedo. Desde criança, Fernanda conta que adorava livros de histórias em quadrinhos, ilustrações e que até embalagens de shampoo (quem nunca? heheh) chamavam muita a sua atenção.

Na época do vestibular, optou pelo curso de Design Gráfico e começou a pensar a ilustração como uma área em que gostaria de trabalhar. A partir daí, entre muitas idas e vindas, aos poucos foi fazendo diversos testes e entendeu melhor como gostaria de se expressar pelas imagens: quais técnicas, suportes, mídias e narrativas.

Seu trabalho se tornou um sucesso após começar a divulgar suas criações nas redes sociais; o que lhe trouxe boas parcerias, inclusive produtos exclusivos com a El Cabriton. Zebradaa traz toques de humor e um realismo misturado a uma identidade única em suas ilustrações. Cores, que de maneira minimalista, passam uma mensagem única, além de recados necessários para o nosso dia a dia nesta pandemia.

A artista é a dona da fachada de número 129 e estreia o nosso projeto de volta em 2021 após muitos meses em suspensão por conta do Covid-19. Hoje Fernanda divide conosco um pouco de sua visão do mundo. Confira entrevista feita por Carol Moré, do FTCMag:

COM VOCÊS, ZEBRADAA

Fernanda, quais suas inspirações? 

Uma das minhas primeiras inspirações foram os episódios do desenho do Tintim, os programas e desenhos que passavam na TV Cultura nos anos de 1990, os livros da Eva Furnari. Anos depois, com maior possibilidade de acesso à internet e a formação em design gráfico, conheci o trabalho de muitos ilustradores independentes e também comecei a pensar em como referências das áreas de História da Arte e Teoria do Design poderiam ser traduzidos em criações autorais.

O que você tem lido, ouvido, visto, quais são suas referências preferidas no momento? 

Eu acho que acabo bebendo de uma grande miscelânea de referências: escuto algumas bandas feministas, depois já estou interpretando letras do Raça Negra… Acredito que é importante estar com olhos e ouvidos curiosos sobre tudo que está ao redor, pois sempre podemos fazer associações e ter novas ideias a partir desse exercício diário.

Mas, em resumo, nas últimas semanas venho assistindo animes e ouvindo uma cantora e poetisa incrível chamada Arlo Parks. A artista começou sua carreira em 2018 e acho muito interessante como ela traduz, musicalmente, sentimentos, relacionamentos e emoções tão contemporâneos.

Como você definiria o estilo Zebradaa?

Essa questão de estilo é um tanto complexa de se definir, mas eu acho que, por ora, orbito em uma ideia de ilustração digital mais sintetizada, com uso de poucas cores e áreas chapadas, misturada com um toque de humor inspirado em situações do dia a dia.

Claro que a pandemia afetou muito a vida de todos, mas como interferiu nas suas criações? 

De modo geral, várias ilustrações do período foram muito um desabafo e/ou uma ponte de conversa com pessoas que se identificam com certos tipos de medos, anseios, vazios, vontades. É um momento mundial extremamente sensível em vários aspectos, sendo que questões de saúde mental acabaram sendo muito agravadas acentuadas, fazendo os diálogos e debates ainda mais urgentes.

MURAL ZEBRADAA PARA EL CABRITON

Você já havia criado algum mural? Existe alguma dificuldade em expor seus trabalhos neste tipo de superfície? 

Em 2009, eu criei uma arte para o concurso do mural comemorativo do centenário da história da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. A arte foi escolhida, mas, na época, eu não cheguei a fazer a pintura efetivamente, e contatei dois profissionais para me ajudarem.

Agora, no mural da El Cabriton, estou fazendo o processo completo, desde a concepção da ideia até a execução, e percebo que uma das dificuldades é adaptar a técnica digital para a tinta e o pincel, assim como repassar uma arte em formato A3 para uma parede toda. É um desafio! Mas é muito satisfatório quando você começa a ver a imagem sendo formada nas paredes. 

Como foi seu método de trabalho neste caso? Qual foi a ideia central? 

Para esse trabalho eu pensei no conceito: “Para se ver, olhar para fora”. Que trata muito dessa ideia de estarmos curiosos e atentos com as pequenas e valiosas experiências do cotidiano. Para a imagem, o foco era desenvolver personagens com binóculos e lunetas, olhando em várias direções e para vários elementos e objetos.

Como nesse processo eu teria que traduzir a ilustração de uma tela para uma parede, desenvolvi formas que pudessem ser encaixadas e adaptadas como módulos, ou peças de montar, permitindo que eu pudesse organizar e reorganizar a composição da imagem ao longo do processo. 

Na esquina da Rua Augusta, onde fica a loja, sempre acontecem várias coisas inusitadas. E neste cenário da Covid, com certeza você deve ter experienciado algo. Enquanto você pintava a fachada, alguma cena te marcou?

Hahaha, de fato, são várias situações inusitadas que acabam acontecendo. Uma das que mais me chamou a atenção foi quando uma mãe e duas crianças pararam do meu lado para ver o que eu estava fazendo.

Uma das crianças me perguntou se eu estava desenhando na parede… Eu respondi que sim! E ela me disse: “Mas a sua mãe deixa?”, hahahah. 

Se você pudesse pintar em qualquer muro do mundo, qual seria? 

Acho que poderia ser na fachada ou muro de outras iniciativas e pequenas produções de viés independente. Acredito que nesse circuito é muito importante que artistas, designers, produtores, escritores, espaços de estudo, feiras independentes, façam essa ponte entre os elos para que possamos existir e resistir em um cenário nacional tão difícil para as áreas criativas.   

O trabalho de Zebradaa é sensacional! Lembrando que a artista também tem camisetas e outros produtos disponíveis com suas estampas na El Cabriton! Veja todas aqui!

Acompanhe o incrível trabalho de Zebradaa também no Instagram.