‘Aquário Urbano’: Grafite de 10 mil m² traz fundo do mar para Centro de SP

‘Aquário Urbano’: Grafite de 10 mil m² traz fundo do mar para Centro de SP

10 de janeiro de 2020 0 Por Carol

Tome um ar, mergulhe com a gente e aprecie o incrível ‘Aquário Urbano’ que está sendo feito no centro de São Paulo

15 prédios grafitados no centro da cidade de São Paulo. A região é das rua Major Sertório com a Bento Freitas, próximo ao Copan, ao Hilton e ao Terraço Itália. Os artistas responsáveis, Kleber Pagú e Felipe Yung, escolheram o tema para alertar sobre as questões ambientais e urbanas, querem dar ênfase para a preservação do meio ambiente e também bater o recorde do Guinness de maior mural do mundo, já que a obra terá no total mais de 10 mil m² de pintura.

Fotografia @aquariourbano

Flip, como é conhecido Felipe, explica que o desejo de realizar este projeto é antigo e há um ótimo motivo para escolher o Centro de SP como local da super obra: “quando eu conheci o Pagú, a gente se deparou com essa encruzilhada, um lugar único, que tinha muitas possibilidades e muitas empenas (paredes laterais de prédio) cegas viradas para o mesmo ponto. E desse ponto, quando você olha em 360º, você se sente dentro de um aquário. A partir disso surgiu o Aquário Urbano”, explicou.

Fotógrafo @americoyung 

“O Aquário Urbano se divide em alguns temas, ressignifica a cidade e ainda transforma o local em um espaço turístico, envolvendo os comerciantes e moradores, porque afeta todas as pessoas e o comércio no entorno”, também comenta Pagu.

Fotografia: @muito.urbex_
Fotografia @aquariourbano

A obra, desde 2017, já não passa desapercebida por quem está pelos arredores e o grafite deve ficar pronto ainda no primeiro semestre de 2020. Os organizadores da ideia ainda definiram um ponto central que dê para ver toda a instalação.

REALIDADE VIRTUAL NO AQUÁRIO URBANO

Além da instalação física, o projeto possui o aplicativo ‘Aquário Urbano’ para celular que traz a imersão em 360º. Com a ajuda de óculos de realidade virtual, é possível se posicionar no “ponto zero” e interagir com os sons do fundo do mar e com os animais em movimento. 

Fotógrafo @americoyung 
Fotógrafo @americoyung 

Após o término de todas as pinturas, Flip e Pagú se comprometeram em reciclar todos os resíduos produzidos e as milhares de latas de tinta vazias.

“A gente quer a arte acessível. A gente quer atingir o máximo de pessoas possíveis. Não tem nada mais democrático que isso. Não estou cobrando ingresso”.

Fotógrafo @americoyung 
Fotógrafo @americoyung 

Que venham muitos seres aquáticos coloridos para o nosso lar!

Para acompanhar a evolução: https://www.instagram.com/aquariourbano/

Via/Via.

Powered by Rock Convert